Projeto tem criança no samba

Objetivos:
  • Conhecer algumas histórias do samba;
  • Identificar alguns músicos e compositores importantes para a legitimação do samba como dança brasileira;
  • Analisar o conteúdo das letras de músicas, identificando quais ideias e sentimentos são transmitidos por elas;
  • Criar movimentos de dança, experimentando livremente o deslocamento no espaço;
  • Experimentar diferentes formas de organização dos dançarinos no espaço durante as execuções;
  • Conhecer e perceber o ritmo no próprio corpo e nas canções;
  • Expressar sentimentos, sensações, ideias, pensamentos através dos movimentos de dança tendo o samba como música de fundo;
  • Descobrir a dança como uma nova possibilidade de linguagem corporal;
  • Exercitar a criatividade, a imaginação e a expressividade através de coreografias elaboradas pelos próprios alunos e da improvisação.
 Justificativa:

O tema samba é propício para se trabalhar de forma interdisciplinar.

Koellreutter (1997 apud BRITO, 2001, p. 26) afirma que, “a música é, em primeiro lugar, uma contribuição para o alargamento da consciência e para a modificação do homem e da sociedade”. Com isso, é possível concordar com a ideia de que a música está realmente inserida nesse processo de socialização entre pessoas e lugares, definindo atividades artísticas além de motivar o relacionamento interpessoal dos seres humanos.

As letras das músicas dão muitas pistas de assuntos relacionados ao cotidiano infantil e adulto, tanto no meio rural quanto no urbano. Além disso, podemos identificar sentimentos em relação aos adultos, às práticas de divertimento infantis, as relações sociais entre pessoas de diversas profissões, o tratamento dado às pessoas de profissões de classes sociais mais simples, a relação da criança que brinca muito em frente ao computador, entre muitas outras coisas.

 Material Necessário:
  • Aparelho de som, músicas do CD “Samba pras crianças”, da gravadora “Biscoito Fino”, lançado em 2003, que pode ser encontrado em diversas lojas do Brasil e pela internet.
  • Letras das músicas impressas para trabalhar com as crianças.

 

Sugestões de Atividades

 

1- Experimentando o ritmo

Objetivo:

Fazer com que os alunos percebam o ritmo desse estilo musical, identificando as batidas dos instrumentos.

 Música recomendada: “Batuque na cozinha”

 

O corpo é nosso principal instrumento musical, pois ele nos leva a executar e a sentir o pulso natural do ritmo da música. É muito importante que o aluno tenha a consciência de que o corpo humano é o instrumento mais prático e que muito pode ser desenvolvido através da música e utilização de possibilidades sonoras.

A partir de certo ponto a música “Batuque na cozinha” apresenta palmas que marcam o ritmo, sempre durante o refrão.

O(a) professor(a) pode pedir aos alunos que se coloquem em roda, próximo ao som, marcando o ritmo da música e, depois, solicitar que as crianças também batam partes do corpo indicadas por ele.

É importante estruturar a aula sempre percebendo as respostas dos alunos a cada proposta de atividade, tentando convidá-los para a dança. Pode-se variar as posições dos movimentos, mobilizando cada vez mais partes do corpo. Aqui vai uma sugestão:

1. Na posição sentada: com as mãos, batendo palmas; batendo nas pernas; batendo no chão, na cadeira, na mesa, etc.

2. Vamos tentar em pé? Batendo palmas sozinho; com o colega; batendo os pés no chão numa mesma posição; agora mudando a posição dos pés a cada batida; marcando o ritmo e andando (para frente, para trás, para os lados) ao mesmo tempo; pulando, etc.

3. Marcando o ritmo e balançando o corpo da forma como preferirem, mas sempre no ritmo da música.

 2- Dançando em roda

Pedir que os alunos dancem em roda, podendo dar as mãos ou não, da forma como for mais adequada ao momento. Sempre estimulando-os a dançar todo o tempo, mesmo permanecendo em seus lugares, o professor deve indicar um aluno por vez, que fará um movimento livre para todos os outros imitarem. A cada novo movimento proposto, todos os alunos devem executar o movimento anterior e, posteriormente, o novo movimento. Para crianças menores, pode-se sugerir uma sequência de 5 movimentos, reiniciando a contagem a cada 5 movimentos. Para alunos maiores, pode-se sugerir uma sequência maior de movimentos ou até todos os movimentos de todos os alunos! Sempre deixando os movimentos mais novos por último. Essa é uma atividade muito divertida e que envolve todos os alunos, possibilitando diferentes experiências, dentro dos limites e possibilidades de cada um.

Música sugerida:

Marinheiro só

Caetano Veloso

Eu não sou daqui
Marinheiro só
Eu não tenho amor
Marinheiro só
Eu sou da bahia
Marinheiro só
De são salvador
Marinheiro só
Lá vem, lá vem
Marinheiro só
Como ele vem faceiro
Marinheiro só

Todo de branco
Marinheiro só
Com o seu bonezinho
Marinheiro só

Ô, marinheiro marinheiro…

 

 

 

 

3- Expressando sentimentos

Selecionar trechos das músicas, pedindo que as crianças dancem o que a música os faz sentir ou representando os sentimentos dos personagens das canções.

 4- Organização do espaço

Ensinar aos alunos algumas formas de se deslocar e de se organizar no espaço, que pode ser chamado de espaço cênico, espaço de dança ou salão/sala de dança. Para cada deslocamento o professor pode sugerir movimentos para que os alunos o imitem de um lado a outro da sala. Algumas sugestões para deslocamento em diagonais, em duplas, trios e/ou quartetos:

 1. deslocamentos em plano alto

2. deslocamentos no plano médio

3. deslocamentos em plano baixo

Em todas as opções, devem ser explorados os movimentos de frente, de costas, de lado, girando o corpo para ambos os lados, movimentos que mobilizem várias partes do corpo e/ou somente um lado ou outro, etc. São infinitas as variações possíveis para essa atividade. Outra boa opção é pedir que os alunos também sugiram movimentos para os deslocamentos da turma.

 5- Instrumentos inusitados

Oportunizar que objetos do uso cotidiano ganhem funções instrumentais, tornando-se bem alternativos, conforme representados dentro do partido alto, como o prato tocado com faca, frigideira tocada com colher, caixa de fósforo tocada com os dedos e o chapéu de palha tocado com a mão.

Oferecer materiais diversos e instigar a exploração dos mesmos no ritmo da música.

Sugestão de música:

Maracangalha

Dorival Caymmi

Eu vou prá Maracangalha

Eu vou!

Eu vou de uniforme branco

Eu vou!

Eu vou de chapéu de palha

Eu vou!

Eu vou convidar Anália

Eu vou!

Se Anália não quiser ir

Eu vou só!

Eu vou só!

Eu vou só!

Se Anália não quiser ir

Eu vou só!

Eu vou só!

Eu vou só sem Anália

Mas eu vou!…(3x)

Eu vou só!…(16x)

 

6- Vivenciar o samba de roda

Pesquisar a origem do samba de roda, suas características e curiosidades.

Construir instrumentos de percussão, como: ganzás e tamborins com materiais alternativos utilizando garrafas pet, tampas de potes, canetas usadas e grãos diversos.

Organizar o samba de roda com os meninos tocando os instrumentos e as meninas dançando.

Sugestão de música:

 Candeeiro de vovó

Dona Ivone Lara

Vige, Minha Nossa Senhora

Cadê o candeeiro de vovó

Seu troféu lá de Angola

Cadê o candeeiro de vovó

Era lindo e iluminava

Os caminhos de vovó

Sua luz sempre firmava

Os pontos de vovó

 

Quando veio de Angola

Era livre na Bahia

Escondia o candeeiro

Dia, noite, noite e dia

Mas um golpe traiçoeiro

Do destino a envolveu

Ninguém sabe até hoje

Como o candeeiro desapareceu

 

Vovó chorou, de cortar o coração

Não tem mais o candeeiro

Pra enfrentar a solidão

Vovó chorou, chorou

Como há tempos não se via

Com saudades de Angola

E sua mocidade na Bahia

 

Avaliação:

Considerar o desenvolvimento de cada aluno durante todo o processo de aprendizagem. Além disso, é importante considerar o envolvimento de cada um, o respeito às limitações do outro, a capacidade e o empenho no trabalho em grupos, etc. Outro aspecto importante da avaliação é conversar abertamente com as crianças, perguntando-as sobre suas impressões em relação às aulas, ao ritmo, às atividades. O que aprenderam de novo? O que ainda querem aprender? Há algo que gostariam de fazer novamente? O que modificariam nas aulas? O que já conheciam e que foi repetido para eles? O que acharam de dançar juntos? Entre outras perguntas que julgar necessárias.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *