Corpo e Movimento

“Toda a história e todo o saber da humanidade foram construídos em função do corpo: a dor e o prazer são os fundamentos do pensamento” (Rubem Alves)

O desenvolvimento humano se processa de modo inseparável nas três áreas: motora, intelectual e afetiva. Seria um absurdo querer aprimorar qualquer uma destas áreas sem levar em consideração as outras. A criança é um todo em sua integridade e qualquer falha, inadequação no seu crescer, implicará em problemas em diversas áreas de seu desenvolvimento.

Toda atividade que a criança necessita executar deve estar vinculada às funções psicomotoras, motoras, perceptivas e cognitivas. A capacidade intelectual da criança se constrói através do exercício físico que favorece a parte psíquica e emocional.

O lúdico, o brincar, o jogo, são agentes facilitadores para um trabalho psicomotor, são recursos capazes de contribuir para o desenvolvimento das funções cognitivas da criança, bem como fazer associação da atividade nervosa à cognição.

SUGESTÕES DE ATIVIDADES LÚDICAS

1- Jogos e exercícios sensório-motores

  • Andar com as pernas abertas, sobre uma corda esticada no chão, procurando seguir determinado ritmo, que pode variar do mais lento ao mais rápido, ou aos pares ou trios, de mãos dadas, seguindo um estímulo auditivo (uma música, por exemplo).
  • Corrida dos patos: correr de cócoras, com as mãos sobre o joelho e os braços flexionados.
  • Corrida de gigantes: correr na ponta dos pés, com os braços levantados.
  • De costas para uma mesa, braços para trás, tentar apanhar um objeto que se encontre sobre ela. Levantá-lo, atrás do corpo, até a altura permitida pela mobilidade de seu braço, recolocá-lo em cima da mesa. O objeto deve ser inquebrável e flexível, de maneira a facilitar sua apreensão, como, por exemplo, objetos de espuma ou bonecas de pano.
  • Puxar, até um local combinado, objetos mais pesados como, por exemplo, saquinhos com pedrinhas.
  • Transportar no braço, sem o auxílio das mãos, roupa, caderno, jornal, uma folha de papel, etc., até um local combinado.
  • Transportar, com o auxílio do pé, objetos que possam se acomodar sobre ele, tais como: borracha, retalhos de tecidos, saquinhos de areia, feijão, milho, alpiste.
  • Transportar pequenos objetos a um local combinado, empurrando-os vagarosamente com os pés.
  • Transportar na cabeça pequenos objetos (borracha, caderno, uma folha de papel), até um local combinado.
  • Empurrar uma bola com os calcanhares, levando-a de um lado para outro com leves impulsos.
  • Passar água ou areia de um baldinho para outro, utilizando-se de copinhos.
  • Lançar objetos (bolas) a grandes distâncias, sem alvo definido, tendo em vista um alvo mais limitado (uma parede, por exemplo).
  • Lançar uma bola de meia, tentando alcançar um alvo desenhado na parede e bem acima da altura dos participantes.
  • Lançar uma bola de meia dentro de uma caixa de papelão.
  • Jogar a bola na parede e tornar a pegá-la.
  • Jogar a bola no chão e tornar a pegá-la. 
  • Jogar a bola para o alto e tornar a pegá-la.
  • Jogar a bola no chão e rebatê-la.
  • Brincar de encestar bolas.
  • Em pares, lançar de um para o outro, uma bola ou um saquinho com areia, grãos, etc.
  • Dispostos em círculo, jogar a bola uns para os outros.
  • Lançar uma bola para o alto e bater palmas uma ou mais vezes, antes de pegá-la novamente.
  • Chutar bolas e pedrinhas.
  • Jogo de pontaria no chão – desenhar um círculo no chão ou utilizar um arco. As crianças deverão jogar a bola dentro do círculo. Aumentar, gradativamente, a distância. Variar, jogando a bola na frente, atrás, do lado esquerdo e do lado direito do círculo.

2- Exercícios dígito-manuais:

  • Com a palma da mão sobre a mesa, levantar e abaixar cada dedo.
  • Separar e aproximar os dedos, como um leque (fazer em diversas posições).
  • Movimentar o polegar para frente e para trás.
  • Girar o polegar.
  • Girar cada um dos dedos separadamente.
  • Tocar, com o polegar da mesma mão, a ponta de todos os dedos sucessivamente; fazer o exercício ora com uma mão, ora com outra.
  • Com as palmas das mãos unidas, separar e aproximar os dedos de uma mão aos dedos da outra mão, sem separar as palmas.
  • Movimentar os dedos indicador e médio, no plano vertical, como se fossem um homem andando.
  • Movimentar os dedos indicador e médio, no plano horizontal, como uma tesoura.
  • Fazer movimentos de pinça com todos os dedos juntos.
  • Fazer movimentos de pinça com o indicador e o dedo médio.
  • Girar pequenas argolas com os dedos.
  • Com a ponta dos dedos, levantar alguns fios do próprio cabelo.

 JOGOS SIMBÓLICOS

Jogo dos bichos – formar um grupo em círculo e de pé, sugerir às crianças algumas posições, sons e movimentos articulados por certos animais. Cada uma irá imitar um animalzinho de sua preferência, depois todas podem imitar um único bicho mais interessante.

 Mágica das profissões – imaginando que são diferentes profissionais, ao sinal de uma varinha mágica, as crianças deverão executar os movimentos:

  • um bombeiro subindo a escada de seu carro para apagar o fogo;
  • um domador de circo domando a fera com chicote;
  • um palhaço brincando de levantar peso;
  • uma lavadeira lavando roupa (esfregando, torcendo, pendurando no varal e passando a ferro);
  • um marceneiro serrando madeira e martelando prego;
  • um padeiro preparando pão (batendo a massa, abrindo com rolo, fazendo os pãezinhos, arrumando-os na forma e colocando-os no forno);
  • uma cozinheira fazendo comida (batendo ovo, mexendo a panela e lavando os pratos);
  • um pianista tocando piano; 
  • uma costureira fazendo uma roupa (cortando e costurando).

 Reproduzindo a natureza – através de movimentos se imaginar como um mar revolto, um mar tranquilo, um rio, um córrego, uma cachoeira, uma tempestade, uma árvore, uma sementinha, uma raiz ou uma flor. O professor pode ampliar a atividade, desenvolvendo a linguagem dos alunos e pedindo que avaliem como se sentiram em cada situação imaginada, qual a preferida, se alguma os desagradou e por quê. Ainda é possível dramatizá-la, cada um com sua preferência. Pode-se enriquecer a atividade utilizando áudios com sons da natureza.

Ginástica historiada – O professor conta história e ao mesmo tempo sugere que as crianças executem movimentos. Com criatividade, é possível unir o prazer por ouvir histórias com exercícios psicomotores, além de desenvolver atenção e concentração. Exemplos: “Apareceu um leão! Vamos fugir, correndo, na ponta dos pés! Encontramos uma casa. Vamos olhar pelo buraco da fechadura só com o olho direito, para ver se alguém pode nos ajudar…”


Trechos do E-book: Projeto Corpo e Movimento – saiba mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *